Livro "Na Trilha dos Templários"

Escrito pelo Ir.'. Jamil El Chihimi



Templários, templários, templários, a simples menção de seu nome parece despertar lembranças impossíveis em muitos, avivando as chamas de uma imaginação que nos faz ver estes Cavaleiros Medievais com um porte majestoso, talvez, excessivamente idealizado.

Como algumas coisas na vida não há meio termo, ou nos sentimos seduzidos por sua intrínseca e rica história, ou passamos por esta vida sem saber que há nove séculos, um pequeno grupo de nove homens
iniciou uma aventura que com o passar dos anos os levou a ser donos de meio mundo.

Todos os historiadores sabem que a historia é um grande mistério, se não tivesse mistérios, homens, jovens e velhos não passariam suas vida pesquisando nos arquivos e nas bibliotecas os segredos que encerram.

Apesar de nosso interesse pelos templários ter surgido há muitos anos, com o passar do tempo ele somente cresceu.

Cresceu a ponto de nos motivar a pesquisar cada vez mais o tema, que culminou neste lançamento.

Muitas vezes, podemos comparar estes cavaleiros, aos capacetes azuis da antiguidade, colocando ordem e protegendo os que arriscavam suas vidas e bens para visitar a Terra Santa. Isto lhes permitiu crescer e
converterem-se em uma autoridade universal, acumulando tanto poder que pôs em perigo "a ordem estabelecida."

Muito se tem escrito sobre estes cavaleiros, mas as incógnitas permanecem sem se resolverem, por isso estes monges guerreiros mantêm viva a curiosidade investigativa.

Todos esses conhecimentos foram descritos em uma rica obra em forma de romance narrativo, que nos permite percorrer agilmente este período da historia dando-nos conta do espírito templário e dos conhecimentos que possuíam. Os que não sucumbiram ante a abolição e perseguição que
sofreu a ordem no inicio do século XIV, continuaram resistindo ao passar do tempo, a espera de serem descobertos e sentidos pelos templários de todos os tempos.

A trilha inicia-se em 1095, em Clermont Ferrant, quando Urbano II, convoca o europeu cristão a tomar em armas e marchar à Jerusalém, para liberta-la do jugo daqueles que chamavam de inimigos.

Entre os que marcharam, encontrava-se R... Um cavaleiro culto de mente inquisidora, irriquieta e altamente insubmissa as condições do momento, apesar de estar marchando como um Cruzado. R..., é a figura central do livro, que num linguajar coloquial, mas nunca chulo, vai narrando as diversas fases de sua longa marcha como cruzado e depois como Cavaleiro Templário. Informa como e porque, fundaram a Ordem dos Pobres Soldados de Cristo e do Templo de Salomão, mostrando a história escondida atrás da estória do início da Ordem. Conta detalhadamente sobre os documentos encontrados no sub-solo do antigo Templo de Salomão, demonstrando muitas nuances desta descoberta.

Demonstra como adquiriram os conhecimentos, onde foram busca-los e seus modos intrínsecos de, cada dia mais, aprofundarem-se neste campo. Aborda dados sobre o cristianismo primitivo, discutindo temas, que ainda hoje, estão revestidos com uma enorme capa de mistérios. R...caminha pela história, narrando as batalhas, de Hattin, do Acre, as perseguições sofridas pelos Templários, as viagens empreendidas em
suas fugas e as ligações com outras Ordens.

Aprofunda-se nas buscas do verdadeiro Cristianismo, indo se encontrar com os essênios, onde aprende seus rituais e dogmas, e conhece a verdadeira história de Yahoshua.

Narra sobre as navegações e a descoberta do Brasil, as viagens realizadas em 1307 às Américas, as reformas religiosas e a Capela de Rosslyn.

Com uma postura clara, vai semeando narrativas, revestidas de um alto conceito cultural e ético.Com tudo isto pode afirmar: os Templários não morreram.

Continuam vivos buscando, pesquisando e revestidos dos mesmos ideais de outrora.

Hoje, não usamos a espada, mas utilizamos de nossos intelectos, usamos de uma arma muito mais poderosa: a caneta.


Esta consegue dar materialidade ao verbo, assim de um algo sutil transformamos- as em algo palpável, para que tem dificuldades de vê-los na essência, mas podem vê-los grafados.

Poderíamos listar um intenso rol de dúvidas que ainda pairam sobre os conhecimentos, mas a título de ilustração pergunto:


  • Quem realmente foi Jesus?

  • Quais foram seus dogmas e onde era a fonte inesgotável de seus conhecimentos?

  • E sobre seu casamento, quais as conclusões que chegamos?

  • Onde estariam seus descendentes?




Perguntas...perguntas e perguntas.

Sabemos qual a posição de algumas religiões com respeito a estas informações, mas como homens livres, devemos continuar divulgando-as para dar Luz à humanidade.

Um comentário:

Lutero Inácio disse...

Ainda não li o livro mas,pelos trechos publicados,neste site,a grande revelação sobre os Templários não aconteceu.Parece que
é o mesmo assunto que se procura desvirtuar na História: a divindade e existência de Cristo e o porquê da destruição e força da
Ordem do Templo.As lendas e mitos
são formas "mascaradas"de narrar os
múltiplos aspectos da verdade,no
entanto,o véu que encobre a vida dos Templários irá se rasgar apenas
no dia em que for terminado o ciclo
de evolução planetária:o final da
era de Aquário.

Queres Segredos da Maçonaria?

Então leia o que Fernando Pessoa, um dos maiores poetas da história da língua portuguesa, escreveu sobre o Segredo Maçônico.

Pedras Evoluídas

O Sol nasce e ilumina as pedras evoluídas,
Que cresceram com a força de pedreiros suicidas.
Cavaleiros circulam vigiando as pessoas,
Não importa se são ruins, nem importa se são boas.

Chico Science, cantor pernambucano falecido em 1997. (Uma pedra “evoluída”?)